top of page

Morre mãe do jornalista Walcledson de Paula, editor-chefe da ATVDOPOVO


foto: reprodução/acervo/família

O corpo está sendo velado neste sábado (08/01/22) no templo da Igreja Casa de Oração, rua Saudade, 439 - bairro Esperança - Ipatinga - MG, das 09h às 16h, sendo o sepultamento previsto para as 17h no Cemitério da Paz no bairro Veneza II, no mesmo município


Cândida Ferreira (Leite) de Paula , nascida aos 07/08/1937, faleceu na manhã desta sexta-feira (07/01/22), aos 84 anos de idade, no quarto 626.2 do Hospital Márcio Cunha, em decorrência de trauma pós-cirúrgico, de cirurgia de retirada de bolsa de colostomia.


Culto fúnebre será previsto para presencial e on line em 2 etapas:

- 1ª parte: entre 11h e 12h - link da primeira parte já está disponível para você acompanhar quando for ao ar:



- 2ª parte: entre 15h e 16h link:



Histórico Cirúrgico

Em dezembro/2019, a mãe do jornalista, passou por um problema de intestino onde estava com dificuldade de realizar suas necessidades fisiológicas intestinais, sendo levada às ao Hospital Márcio Cunha, aos 82 anos, mesmo tendo convênio da AAPI, o hospital negou atendimento de convênio, alegando não ser urgente.


Os familiares a levaram em seguida para a UPA24h de Ipatinga, onde ficou 5 dias internada e sendo transferida em seguida para o HMEM - Hospital Municipal Eliane Martins, onde ficou por 3 dias, e, sendo medicada com medicação que resolveu o problema parcialmente.


Com a pandemia da covid-19, e, por ser do "grupo de risco", a família seguiu todas as orientações indicadas do distanciamento social, onde ela passou a ficar somente em casa.


Com essa decisão dos "líderes mundiais", dona Candinha - como era conhecida, passou a ter os mesmos problemas intestinais novamente .


Com o decreto municipal do ex-prefeito extemporâneo, Nardyello Rocha, que o Hospital Márcia Cunha seria fechado para atendimentos "eletivos" no dia 27/05/20, então a família decidiu levá-la novamente ao HMC, que desta vez a atendeu pelo convênio AAPI, que, a cirurgiã médica de plantão, Dra. Lara, integrante da equipe do Dr. Ricardo Machado Rocha, recomendou imediatamente o procedimento cirúrgico para a desobstrução intestinal.


Os exames necessários foram todos realizados.


CIRURGIA DUPLA:


Imediatamente, 2 dias após a internação, no dia 29/05/2020, foi realizado o primeiro procedimento cirúrgico onde constataram diverticulite - inflamação do divertículo no final do intestino e colocação de Bolsa de Colostomia.


A cirurgia não foi bem sucedida, onde foi necessário outro procedimento cirúrgico, 2 dias após o primeiro, no dia 31/05/2020, onde o Dr. Ricardo fez a "ordenha intestinal" e colocação novamente da bolsa, que desta vez funcionou.


Ao todo a mãe do jornalista, ficou 6 dias em UTI, 20 dias inchada e vazando líquidos nos membros inferiores e superiores, 32 dias totais de internação, adquiriu covid-19 no 5o andar do HMC, sendo transferida para a ala exclusiva de isolamento covid-19 no 2o andar do mesmo hospital.


RETIRADA DA BOLSA DE COLOSTOMIA:


Durante a internação, foi feita a biópsia e constatada que a parte do intestino com problema não era tumor maligno, e se a família quisesse, poderia ser feito o procedimento de reversão.


O filho de dona Cândida, sua esposa, irmão, não queriam o procedimento, mas, ao longo de 1 ano e meio ela insistia que queria fazer a cirurgia de reversão - retirada da bolsa de colostomia e ligação do intestino novamente ao reto.


Portanto, atendendo em vida a um desejo da mãe, e, a volta da cirurgias eletivas, toda a papelada e trâmites foram feitos e exames pré-operatórios foram realizados e tudo constava que poderia ser feita.


Então, na manhã da última quarta-feira (05/01/22), conforme foto, ela deu entrada no Centro Cirúrgico do HMC.


foto: reprodução/acervo/família

A cirurgia, começou por volta das 08:40h da manhã e terminando 3 horas após, às 12:20h do mesmo dia. Ficando na sala de RPA - Recuperação pós Anestesia e o mesmo Dr. Ricardo veio dar pessoalmente a notícia ao jornalista que estava acompanhado de seu irmão mais velho, onde ele disse que a cirurgia apesar de demorada e delicada, não havia necessidade de uma UTI e que ela subiria assim que estivesse liberada da RPA para o quarto.


De fato, às 14:46h do mesmo dia ela subiu para o quarto 626-2 - 6o andar do HMC, onde até as 36 primeiras horas pós procedimento cirúrgico parecia estar tudo bem.


Mas, na manhã das 48 horas do início do procedimento cirúrgico, dona Cândida começou a ficar inquieta, e às 9:30h - aproximadamente do mesmo dia, ela entrou em trabalho de PCR - Parada Cardio-Respiratória, onde o próprio jornalista Walcledson de Paula, estava como acompanhante que percebeu essa alteração e que ela não o respondia pelo nome e que o HMC prontamente enviou 2 médicos e vários enfermeiros para tentar ressuscitá-la.


As tentativas obtiveram sucesso nas 2 primeiras vezes, mas, na terceira vez, após uma hora de tentativa de trazê-la à vida não foi possível na 3a vez, sendo o óbito ocorrido aproximadamente às 10:40h do mesmo dia.


"minha mãe praticamente partiu para a eternidade em meus braços, pois fui em quem dei os primeiros socorros e chamei por socorro com ela ainda viva", disse o jornalista que também acrescentou "Minha mãe era uma crente no Senhor Jesus desde os seus 18 anos de idade, quando se converteu ao evangelho ao casar-se com meu pai, que a levou para a Igreja de Deus e teve uma vida de dedicação à servidão ao Deus da Bíblia".


O corpo de dona Cândida está sendo velado na Igreja Casa de Oração, onde ela se reunia desde sua conversão lá na roça em "Penha do Capim", distrito de Aimorés-MG. O endereço da igreja que ela se reunia em Ipatinga, é rua Saudade, 439, bairro Esperança.


O velório acontece por todo o dia de sábado (08/01/22) das 9h da manhã às 16h e sepultamento, em seguida, previsto para às 17h do mesmo dia, no Cemitério da Paz, no bairro Veneza II.


"minha mãe sempre era alegre e essa será uma das maiores recordações que levarei para a minha vida, mesmo sendo maltratada ou humilhada nunca ficava triste e dava a volta por cima e esquecia de tudo, como um verdadeiro cristão, e, já estava alegre no mesmo instante", informou o jornalista Walcledson de Paula que finalizou "Minha mãe gostava de cantar hinos e mesmo sem saber tocar direito violão, ela pegava-o cantava vários hinos, sendo o mais conhecido e que ela mais louvava ao Eterno era: 'O CULTO HOJE VAI SER MARAVILHOSO, PORQUE JESUS VAI DERRAMAR O SEU PODDER'. Essa portanto, foi a frase que escolhi para a Coroa de Velório, sendo também o versículo 'O VIVER É CRISTO E O MORRER É LUCRO', Filipenses 1:21".




Comments


bottom of page