top of page

Fome, violência e a morte dos filhos: as tragédias da vida de Elza Soares

Elza Soares morreu hoje, em sua casa, no Rio de Janeiro, aos 91 anos. A artista, considerada "a voz do milênio", teve a vida marcada também por vários dramas pessoais, dificuldades e tragédias. Obrigada pelo pai, ela casou com apenas 12 anos de idade, enfrentou violência doméstica e a morte de quatro filhos.


Casada aos 12

Elza Soares teve a infância interrompida após o próprio pai a obrigar a se casar, quando ela tinha apenas 12 anos. Foi do primeiro marido, Lourdes Antônio Soares, que a cantora herdou o sobrenome que levou até o fim da vida. Pouco tempo depois do casamento, aos 13, Elza engravidou do primeiro filho — ela teve oito, ao todo. A união durou menos de uma década e, aos 21, a artista já era viúva. "Eu soltava pipa, jogava bola de gude, com filho no colo. Pegava balão, corria muito, brincava com eles. Foi assim que foi a minha vida. Era criança e mãe", disse a cantora à BBC em 2018.


Perda de filhos

Elza, ainda adolescente, perdeu os dois primeiros filhos devido à fome. Em 1986, a artista perdeu Garrinchinha, seu único filho com Garrincha, que tinha apenas 9 anos. O menino foi vítima em um acidente de carro.


A tragédia fez com que a cantora entrasse em depressão e tentasse suicídio. Ela decidiu sair do país e só retornou após quatro anos. Em 2015, Elza perdeu Gilson, aos 59 anos. O filho da cantora teve complicações após uma infecção urinária.


"Eu acredito em Deus, nos meus guias de luz. A resposta para vida está aqui entre nós. Nunca me revoltei por tudo que já me aconteceu. Não sou a única a perder filho. É claro que dói demais. Mas todos nós temos uma missão."

Elza Soares ao jornal Extra


Sequestro da filha

Elza teve a filha Dilma recém-nascida sequestrada pelo casal que cuidava dela em 1950. Mesmo sem nunca deixar de procurar a filha, só a reencontrou quando ela já era uma mulher adulta.


Violência doméstica

Entre 1962 e 1982, Elza Soares viveu seu relacionamento mais famoso, com Mané Garrincha. Os dois se conheceram alguns meses antes da Copa do Mundo de 1962, durante um treino do Botafogo, time no qual o jogador atuava à época. No entanto, ele era casado, e Elza namorava o músico Milton Banana.


Depois de alguns meses vivendo o romance escondido, Garrincha se separou da então esposa e, em 1966, Crioula e Neném — apelido do casal — se casaram. Fãs e a própria imprensa perseguiam o casal e diziam que Elza era culpada pelo fim do relacionamento anterior dele.


Os dois ficaram juntos por mais de 15 anos. O ex-jogador, no entanto, tornou-se alcoólatra e passou a ser violento com Elza. Em uma das ocasiões, a cantora teria tido os dentes quebrados pelo marido, mas sofreu em silêncio. Garrincha morreu em 1983, um ano após a separação de Elza, vítima de cirrose hepática.


Apesar disso, em entrevista à BBC em 2018, Elza disse que preferia esquecer os "momentos de ódio" e focar nos "momentos de amor" com Garrincha.


"Eu penso nos momentos de amor. Procuro esquecer os momentos de ódio, porque a coisa pior do mundo é o ódio, né? Então penso no momento de amor, que foi lindo. "

Elza Soares à BBC


A morte da cantora de 91 anos aconteceu 39 anos depois do ex-marido, que também morreu no dia 20 de janeiro. Morte da mãe Em 1969, Rosária Maria da Conceição, mãe de Elza, morreu em um acidente na rodovia Presidente Dutra, que liga as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo


foto:internet

Morte da mãe

Em 1969, Rosária Maria da Conceição, mãe de Elza, morreu em um acidente na rodovia Presidente Dutra, que liga as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.


Na ocasião, Garrincha dirigia bêbado quando o veículo bateu na traseira de um caminhão, arremessando Rosária para fora do carro.


Elza Soares morreu no mesmo dia de Garrincha, quase 40 anos depois

'Eu sonho muito com o Mané. O maior amor da minha vida foi ele', disse Elza em entrevista a Bial há 4 anos. Bicampeão do mundo pela seleção também faleceu no dia 20 de janeiro, mas em 1983.

A morte da cantora Elza Soares nesta quinta-feira (20), aos 91 anos, acontece no mesmo dia da de Garrincha, com quem teve um relacionamento por 17 anos. O craque do Botafogo e bicampeão mundial pela seleção brasileira também morreu no dia 20 de janeiro, mas quase 40 anos antes: em 1983. "Eu sonho muito com o Mané. O maior amor da minha vida foi ele." Ruy Castro fala sobre carreira de Elza Soares O relacionamento com o craque, que era casado, foi julgado pela sociedade. A cantora foi apontada como a responsável pela separação do jogador. Também no programa, ela disse que Garrincha prometeu a ela o título da Copa de 1962. Na época, Pelé era o craque do time, mas acabou se contundindo — e quem brilhou foi o "marido de Elza", como ela mesma se referiu. Elza Soares aguarda o início do desfile da Mocidade, que teve a vida da cantora como tema no carnaval do Rio em 2020 — Foto: Fábio Tito/G1 "Ele me prometeu e disse: 'Olha criola, essa Copa eu vou dar pra você, vou fazer gol pra você (...) Eu nunca gostei de ser mulher de fulano. Eu sou eu. Não era preciso ser mulher do Garrincha pra ser a Elza Soares. O Garrincha era marido da Elza Soares." Elza e Garrincha tiveram um filho em 9 de julho de 1976: Manoel Francisco dos Santos Júnior, o Garrinchinha. Aos 9 anos, a criança morreu em um acidente de carro. A informação da morte da cantora no Rio de Janeiro foi confirmada pela assessoria de imprensa de Elza. "É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos em sua casa, no Rio de Janeiro, por causas naturais", diz o comunicado enviado pela assessoria da cantora. A carreira Elza Gomes da Conceição é considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, com carreira no samba que começou no final dos anos 50. O início veio como parte da cena do sambalanço com "Se Acaso Você Chegasse", em 1959. Nos 34 discos lançados, ela se aproximou do samba, do jazz, da música eletrônica, do hip hop, do funk e diz que a mistura é proposital. O último disco lançado foi "Planeta Fome" em 2019. "Eu sempre quis fazer coisa diferente, não suporto rótulo, não sou refrigerante", comparava Elza. "Eu acompanho o tempo, eu não estou quadrada, não tem essa de ficar paradinha aqui não. O negócio é caminhar. Eu caminho sempre junto com o tempo." Desde que lançou o álbum "A mulher do fim do mundo" em 2015, a cantora viveu mais uma fase de renascimento artístico que. “Me deixem cantar até o fim”, pediu Elza em verso da música que batiza o álbum.

Elza Soares e Garrincha — Foto: Redes sociais

Sucessos Pautada sobretudo pelo suingue da cadência do samba, a primeira fase áurea da cantora abarca discos gravados por Elza nos anos 60 com o cantor Miltinho (1928 – 2014) e com o baterista Wilson das Neves (1936 – 2017). Fazem parte desta era lançamentos como "O samba é Elza Soares" (1961), "Sambossa" (1963), "Na roda do samba" (1964) e "Um show de Elza" (1965). Outras fases vieram. Nos anos 70, escolheu cantar o samba de ritmo mais tradicional. A fase rendeu sucessos como "Salve a Mocidade" (Luiz Reis, 1974), "Bom dia, Portela" (David Correa e Bebeto Di São João, 1974), "Pranto livre" (Dida e Everaldo da Viola, 1974) e "Malandro" (Jorge Aragão e Jotabê, 1976). A artista amargou período de ostracismo na década de 1980 e, quando pensou em desistir de cantar, bateu literalmente na porta de Caetano Veloso, em hotel de São Paulo, para pedir ajuda. O auxílio veio na forma de convite para Elza participar da gravação do samba-rap Língua (Caetano Veloso, 1984), faixa de álbum pop do cantor, "Velô" (1984). Essa participação mostrou a bossa negra de Elza Soares a uma nova geração e abriu caminho para que a cantora gravasse e lançasse, em 1985, um álbum menos voltado para o samba, "Somos todos iguais", com música de Cazuza (1958 – 1990). Em 2002, sob a direção artística de José Miguel Wisnik, apresentou um dos álbuns mais modernos dela, "Do cóccix até o pescoço". No ano seguinte, foi a vez de "Vivo feliz", mais voltado para a eletrônica.



fontes: https://www.uol.com.br/splash/noticias/2022/01/20/elza-soares.htm https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2022/01/20/elza-soares-garrincha.ghtml


bottom of page