top of page

Bolsonaro chora em sua última Live e pede que apoiadores se coloquem no lugar dele


Foto: Reprodução, live oficial Bolsonaro 30/12/22

Em live realizada em suas redes sociais na manhã desta sexta-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro (PL) se emocionou e pediu compreensão de seus apoiadores, reconheceu que muitos estão chateados e esperando que ele faça alguma coisa, mas pediu que eles se colocassem no seu lugar.


Ele ainda defendeu que as pessoas tentem convencer os adversários a mudarem de lado, em vez de partirem para o ataque.


Quando você vê que alguém está fazendo coisa de forma repetida algo que você não gosta, não vá para o ataque, não vá para ameaças. Tenta - sei que é difícil, chamar a pessoa pro seu lado. Eu fiz muito disso. Não pensem os senhores que ao longo desse mandato meu não conversei com ninguém do Supremo Tribunal Federal, do TCU, do STJ, conversei com grande parte dessas pessoas”, afirmou.


Bolsonaro disse que alguns estão vivendo um clima de velório e, outros, de euforia e que ele fez o que era possível como presidente.


'Falta de liberdade' e eleição: veja o que disse mais, Bolsonaro em Live de despedida:

Presidente fez live na manhã desta sexta-feira (30/12) para falar sobre conquistas do governo e comentar atos antidemocráticos no país desde a sua derrota nas urnas

Em sua última live como presidente da República, nesta sexta-feira (30/12), o presidente Jair Bolsonaro (PL) fez um balanço dos últimos quatro anos em que esteve à frente do governo e comentou sobre a situação política do país. Na lista de feitos do seu mandato, entre outras ações, ele destacou a privatização da Eletrobras e o controle da inflação por meio da redução dos preços dos combustíveis.


Empresas que não davam lucro foram privatizadas, como foi o caso da Eletrobras. No controle da inflação, junto com o parlamento e não na ‘canetada’, zeramos os impostos federais sobre combustíveis, o que gerou deflação”, disse Bolsonaro.


Na transmissão feita pelas redes sociais, o presidente da República repudiou atos que classificou como “terroristas”, ao comentar o fato de um apoiador dele articular um atentado a bomba no aeroporto de Brasília.


Esta é a primeira vez que Bolsonaro participa de uma live após semanas de silêncio. Desde que foi derrotado nas eleições deste ano; eleições essas que foram contestadas, mas, que jamais puderam ser ouvidas as contestações, pelos órgãos que deveriam prezar pela transparência, lisura, publicidade, gerando assim insatisfação de milhões de brasileiros, que há anos desconfia do novo modelo de eleição implantado por FHC em 1996. O futuro ex-presidente adotou uma agenda reclusa, com poucos compromissos oficiais e raras aparições públicas.


Nada justifica ato terrorista (exemplificou com o assassinato em Foz Iguaçu, briga de bolsonarista e contador do PT). A mídia massifica como bolsonarista, é maneira da imprensa de tratar. A mesma que fala em liberdade de imprensa e hoje aplaude a falta de liberdade que vivemos hoje", criticou Bolsonaro ao dizer que a mídia classifica de atos terroristas os feitos de apoiadores do presidente.


Bolsonaro também criticou o que chamou de “falta de liberdade”:

Nossas liberdades estão sendo tolhidas. Hoje em dia, as pessoas ficam com receio de escrever uma mensagem no ZAP (WhatsApp) e até os médicos ficam impedidos de serem livres para passar o tratamento. Nós vamos adotar a defesa da liberdade como uma luta do povo brasileiro”, pregou o presidente, ao lembrar da defesa de tratamentos para combater a covid-19, durante a pandemia.


Ao concluir a primeira parte da live, Bolsonaro lamentou a morte do ex-jogador Pelé, que morreu ontem (29). “Uma pessoa simples que levou o nome do Brasil aos quatro cantos do mundo. Hoje o mundo todo chora o passamento do Pelé. E nós lamentamos também aqui, publicamos 3 dias de luto oficial pelo passamento do nosso Pelé. E que Deus em sua infinita bondade o acolha no céu”, afirmou.


Derrota nas urnas; urnas estas contestáveis

Ainda durante a Live, Bolsonaro lamentou a derrota nas eleições e acusou o processo eleitoral de ter agido com parcialidade durante o período eleitoral.


As esperanças da vitória eram palpáveis, veio o programa eleitoral gratuito e fomos massacrados com mentiras da outra parte, como vai acabar com 13º e não vai ter mais hora extra. Acusações absurdas. E a questão das rádios tinha mais espaço para um candidato do que para outro. Tinham certas medidas adotadas pelo sistema eleitoral que ninguém conseguia entender, fui proibido de fazer live em casa. Foi uma campanha imparcial? Obviamente que não foi imparcial, foi parcial. E então tivemos o resultado do 2º turno, 50,9% contra 40,9%. Se você duvidar da urna você tá passível de repetir o processo, isso é crime. Mas tudo bem, não vamos duvidar das urnas aqui”, falou Bolsonaro. O presidente recebeu, na verdade, 49,1% dos votos válidos. Não vamos julgá-lo por um erro humano. Afinal, "que não erra, que atire a primeira pedra".


Bolsonaro também criticou a participação de algumas delegações estrangeiras na posse de Lula neste domingo. “Vocês estão vendo quem deve comparecer aqui domingo, lá na Presidência por ocasião da posse. Os nomes dos chefes de Estado aqui da nossa região. O Maduro vai se fazer presente, o Boric, o Ortega. Isso é um mau sinal, onde esse pessoal assumiu, o país ficou piorou”, criticou.


Cobertura da ATVDOPOVO

Quer ficar por dentro sobre as principais notícias do Brasil e do mundo? Siga a ATVDOPOVO nas redes sociais. Estamos no Twitter, no Facebook, no Instagram e no YouTube. Acompanhe!


Newsletter

Assine a newsletter da ATVDOPOVO. É grátis. E fique bem informado sobre as principais notícias do dia, no começo da manhã.


fonte:https://terrabrasilnoticias.com/2022/12/bolsonaro-chora-e-pede-que-apoiadores-se-coloquem-no-lugar-dele/ https://www.correiobraziliense.com.br/politica/2022/12/5062507-covid-liberdade-e-armamento-veja-o-que-disse-bolsonaro-em-live-de-despedida.html

Komentar


bottom of page